domingo, 23 de janeiro de 2011

Ah! Esses bichos!


 É incrível como começam a aparecer insetos em casa nos períodos de chuva. E agora que chove quase todos os dias não podia ser diferente.
 Eu até entendo que os insetos precisam de um lugar quentinho e protegido da água da chuva. Mas esse lugar precisava ser a casa das pessoas?
 Pelo jeito, sim! Eles são atraídos para os lares por vários motivos. Até mesmo pela luz! E depois que eles descobrem o caminho de um determinado lar trazem suas famílias e os moradores do lar que se cuidem.
 Esta semana eles descobriram como chegar a minha casa. Vieram primeiro os insetos menores (os mosquitos) que se escondem facilmente e nem sempre conseguimos ver onde estão. Mas eu sabia que eles estavam em casa pois comecei a acordar cheia de picadas. Depois apareceram besourinhos, borboletinhas e, pricipalmente, formigas voadoras.
 Eu morro de medo de todos! Por isso passo o dia gritando 'socorrooooo!' para o meu irmão. Já que eles sempre aparecem quando estou despreparada. Hoje mesmo houve vários casos:

 Quando eu estava no meu quarto lendo um livro uma formiga voadora surgiu de uma hora para outra e voou pra cima do livro. Dei um grito e resolvi ir jogar algum joguinho no computador do meu irmão. Só que várias criaturinhas voaram para o monitor e eu tive que chamar por Iuri o tempo todo. Então, para que nenhum outro bicho aparecesse, fechei a janela e liguei o ventilador. Não adiantou muita coisa já que pouco tempo depois vi uma formiga voadora gigante andando do meu lado. Levei o maior susto e saí de perto do computador gritando! Iuri, que achou tudo aquilo muito engraçado, ficou mangando de mim por um bom tempo. Depois fui para a cozinha fazer um brigadeiro. Vários bichinhos estavam voando por lá mas me mantive firme pois queria muito comer brigadeiro e eles só queriam a luz da lâmpada. Nem sei por que pensei isso pois um deles caiu dentro da panela de brigadeiro. Morreu na hora! O lado bom foi saber que o bicho que voava feito doido ia parar de voar. Mas logo depois seu amigo bicho voou pra dentro do meu ouvido! Foi horrível! Como achei muito perigoso continuar lá na cozinha e voltei para o meu quarto que está com a janela fechada, a luz apagada e aparentemente sem nenhum inseto. Por enquanto!


sábado, 15 de janeiro de 2011

Falar mal


 Outro dia estava conversando com meu irmão e para saber o que ele achava de uma certa pessoa que tínhamos visto na noite anterior fiz o seguinte comentário: "Aquela menina é muito chata!". Pensei que se ele achasse o mesmo iria concordar e dizer 'é mesmo' ou algo do tipo. Mas me surpreendi ao ouvir Iuri dizendo: "Você só sabe falar mal das pessoas por trás!".
 Fiquei tão chocada com aquela afirmação! Não pelo fato dele ter dito 'você só sabe falar mal das pessoas' (pois se a frase tivesse parado aí eu entenderia que ele queria dizer 'você faz comentários ruins sobre as pessoas') mas sim por ele dizer 'por trás'. Comecei a pensar sobre as minhas várias ações tentando ver se eu me considerava realmente daquele jeito. Para mim a frase 'falar mal das pessoas por trás' é usada para pessoas falsas. Sempre penso nesta frase com a seguinte cena: Uma pessoa A é "amiga" de outra pessoa B mas é só a pessoa B virar as costas para a pessoa A começar a falar coisas ruins e não verdadeiras da pessoa B para qualquer coutra pessoa.
 Não! Esta frase não pode ser aplicada a mim! Uma das coisas que mais desprezo nos seres humanos é a falsidade. E ter atitudes que considero tão desprezíveis é algo insuportável! Ou melhor dizendo: eu sou uma coisa que odeio. Mas percebi que, aos meus olhos, eu não era nem sou assim. Não sou uma pessoa falsa, pensei, eu sempre procuro ser o mais sincera possível. Então, no dia seguinte, fui conversar com meu irmão a respeito do comentário que ele tinha feito para saber por que ele achava aquilo. E descobri que nós temos conceitos diferentes sobre o que significa falar mal. Ele, na verdade, não queria dizer que eu era falsa mas sim que eu (ai! vai ser difícil explicar) falava mal das pessoas por trás. Aí eu disse: "Iuri, mas se para mim tal pessoa é, até onde eu conheço, alguém chato e eu faço uma observação sobre isso eu estou apenas dizendo o que ela é sobre o meu ponto de vista. Será que isto é falar mal?". Então ele me disse: "É que você não fala na cara da pessoa.". Logo em seguida dei um exemplo sobre a atitude que um conhecido nosso tomou certo dia e, neste mesmo dia, eu tinha dito que considerava aquilo errado. E perguntei: "Você queria que, naquele momento, eu falasse para o nosso colega que eu achava que ele agiu mal?". Ele me disse: sim e não.
 Penso que cada um deve refletir sobre suas próprias atitudes pois comentar com alguém e dizer que algumas coisas que este alguém faz são erradas é algo muito delicado e pode acabar magoando a outra pessoa.
 Se eu comento com alguém sobre alguma atitude alheia estou mostrando minha opinião a respeito de tal atitude. Mas quem sou eu para dizer que aquilo é errado ou não? Se eu digo que uma pessoa é chata é porque ela é chata para mim. Chata não por ser bonita ou feia mas por causa de suas atitudes. Quem sou eu para mudá-las? Principalmente quando uma pessoa acha que agir de uma determinada maneira é tão correto. Então, será que estou mesmo falando mal?
 Somo pessoas diferentes e temos opiniões diferentes. Não existe um certo e um errado pois o que eu acho certo pode ser errado para você. Devemos aprender a nos respeitar, embora não seja algo fácil. Será que eu estou respeitando o outro ao comentar com alguém sobre suas atitudes? Posso não estar agindo da melhor maneira ao falar sobre as outras pessoas mas não sei o que falar mal significa para os outros já que meu conceito sobre isto esta profundamente relacionado a falsidade. Então, o que é falar mal?

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Uma breve apresentação

Sou apenas mais uma menina Débora que resolve criar um blog.
Ainda não sei exatamente que tipo de informação estarei transmitindo mas espero poder contar histórias interessantes através da minha maneira de observar os acontecimentos. No mais, este será meu lugarzinho neste universo online.